14.2.08

triste ironia

há dois dias atrás fui visitar uma amiga minha ao hospital que, estando grávida de gémeos, com 19 semanas, involuntariamente, abortou. Vi e continuo a ver a dor de quem perde, num dia, não um, mas dois filhos (ou filhas já que seriam duas meninas).

Hoje, leio isto.

Se há duas semanas atrás agitavam bandeiras dizendo que, o número de abortos tinha sido muito menor do que o esperado, hoje, têm aqui a amostra dos que já se faziam antes da lei ser aprovada e que se continuam a fazer após a sua legalidade.

Falar de falta de informação e ignorância de alguém que, tem 19 anos e frequenta o ensino é rídiculo. Com toda a publicidade, debates e acções de ambos os lados da discussão, neste momento, não acredito que haja muita gente desinformada quanto aos contornos de uma lei, que pessoalmente como quem me segue sabe, acho criminosa. Tenha 10, 20, 30 ou 70 anos.
Até a minha avó, que praticamente não sai de casa, sabe.

Isto é mais uma prova que não é a lei que muda as pessoas. São as pessoas que têm de mudar a lei. E o que é errado é errado sempre.

Questiono-me de como ficará a minha amiga quando vir esta notícia?

17 comentários:

VM disse...

lol... triste... por acaso tb poes esse link no meu logo pela manha...

Inspirado disse...

Sarita...

Já viste que és uma previligiada na sociedade?... Não costumas de acordar e pensar na sorte que tens? Na família que te adora, que te ajuda em tudo, nos amigos "cuidadosamente" escolhidos a dedo...

Cláudia Valente disse...

Não consigo deixar de fazer um comentário!
Estas coisas deixam-me revoltada, hoje em dia com a informação que se tem... quando existe a distribuição gratuita de perservativos e pilulas... quando existem cada vez mais instituições que podem apoiar... sinceramente não entendo, as pessoas que optam pelo aborto, pondo em em risco a própria vida, ficando com sequelas quer fisicas quer pesicológicas para toda a vida... um acto que parece ser simples e fácil no momento, pode tornar-se num pesadelo para toda a vida (mas isto os defensores do abordo, não dizem).
Ao ler a noticia, penso como é que aquela rapariga se sente? Como é que o namorado e a mae a vão enfrentar, uma vez que ela os acusa de não a apoiarem? Onde está o amor??
Se me puser a questionar, levo o dia inteiro, porque esta questão é bem mais complexa... ultrapassa leis, tribunais, politica... é muito mais que isto estamos a falar de VIDAS.

Deixo-te aqui o meu manifesto...
Beijinhos

Sarita disse...

sabia que colocar este post iria criar grandes divergências... na altura do referendo já foi assim... aliás, curiosamente v, foi por essa data que manifestaste a tua presença na chuva... curiosamente com o mesmo discurso. Vejo que ambos não mudámos em nada os nossos pontos de vista.
Eu sei que sou uma privilegiada. Mas ainda assim, isso não é desculpa para nada. Há muita gente não tão privilegiada como eu que toma uma atitude diferente, assim como muito mais privilegiados que seguem exactamente o mesmo percurso desta infeliz.
Privilégios todos temos, até demais... aliás, neste momento temos todos o "privilégio" de poder "abortar em condições dignas" e ainda assim, estas situações ainda acontecem.
Desculpem-me mas acho que por sermos TÃO privilegiados é que por vezes somos TÃO infelizes.

Sarita disse...

Cláudia, obrigada pela visita e pelo comentário... espero ver-te por cá mais vezes.
Beijinhos

VM disse...

sarita: bem sabes a minha opinião sobre o assunto... mas não posso deixar de concordar contigo sobre o facto de uma universitaria não saber quais são as opções que tem... para mais não sendo a 1ª vez... ai estamos em sintonia.

=)

nice disse...

bem... que choque...

_SunFlower_ disse...

já tinha dito no log da Luz e vou dizer aqui também. O problema do aborto em Portugal nunca foi (nem será) da lei. Mas convencerem-nos que sim é mais fácil do que mudar a situação.

Inspirado disse...

ultimo comment q faço... assunto delicado q n gosto de tocar...
ainda bem que te consideras priviligiada... e acho q sinceramente nem se devia abordar estes temas... falta de cultura e conhecimentos para falar sobre o assunto em causa... por isso me calo...
:-)

VM disse...

inspirado: se me é permitido aí é que eu acho que te enganas... na discussão, na troca de opiniões pode-se aprender muito... mas é claro que num tema sensivel existem muitas opiniões, experiencias pessoais, religiosas, etc. Não é um tema facil, nem o será, chegar a um consenso é muito dificil, se a lei é a maneira de resolver as coisas, varrendo algunas cenas para baixo do tapete, é possivel... mas são a discutir temas assim que a sociedade pode evoluir... em Portugal existe uma grande falta de debate... é o que eu acho.

=)

Sarita disse...

eu por mim estou sempre disponível para o debate... dependendo dos debates, claro está. Há um ano atrás até nomes me chamaram no meu próprio blog (ninguém dos presentes ressalve-se). Para isso de facto não estou disponível.
Eu tenho a minha opinião, não a vou mudar. Vou sempre justificá-la e defendê-la. Isso não implica que vá cruxificar quem não concorda comigo. Nem quem faça diferente de mim.
E só uma coisa, acreditem que eu sei bem do que falo, porque não sou propriamente uma pessoa alheia aos problemas dos outros, aos dramas dos outros. Não querendo "puxar galões", estou de facto bastante envolvida em causas sociais. Em trabalho com gravidezes não planeadas, em trabalho com orfãos, com crianças com sida, com míudos que foram tirados da guarda dos pais porque estes não sabiam cuidar deles.
Por isso não me venham dizer que eu não sei nem conheço nenhuma dessas realidades. Conheço-as sim, e só não me envolvo mais com elas porque o tempo não me permite.
Eu conheço dramas de quem já fez abortos e se arrependeu e conheço pessoas que os fizeram e nunca mencionaram arrependimento por tal (o que não significa que o não tenham).
Desculpa v mas falta de conhecimento só tem que não se quer envolver em mudar as coisas. Eu não faço muito, aliás, acho que faço muito pouco, mas pelo menos, procuro fazer TUDO aquilo que me vem parar às mãos.

VM disse...

=(

sarita: eu não referi que nenhum dos presentes tinham falta de conhecimento de causa... referi apenas que é bom discutir certas e determinadas coisas porque em Portugal tem-se uma grande falta de debater questões importantes... foi apenas o que eu referi...que pode passar por este tema como qualquer outro...

Inspirado disse...

Sarita este teu post demonstra mesmo tudo o que penso!
Que sem te querer ofender mostras como não temos poder e razão para debater ideias, porque quem vai para um debate a dizer que vai defender as suas ideias até à morte é porque não está preparado para aprender, trocar ideias e quem sabe perceber que não tem razão...
É a tal história que te digo... com 99% das pessoas religiosas passa-se o mesmo! Têm alguém que lhes impõe a religião e as ideias, e apartir desse presuposto desenvolvem o que pensam... Mas enfim... Sarita não respondo mais, porque como calculas não quero ser mal interpretado e causar polémicas! Felizmente nem tu nem eu temos poder de decisão
:-)

Sarita disse...

vm, eu sei e não disse que disseste isso. O que quis dizer foi que como tu também estou sempre disponivel para debater qualquer assunto, porque concordo contigo que é a conversar que as pessoas aprendem.
;)

v, eu não vou mudar a minha opinião, porque não a tomei de ânimo leve, nem ninguém ma impingiu. Pensei nela, ponderei os prós e os contras, fui procurar respostas e fiz perguntas.
O facto de eu dizer que não vou mudá-la é num sentido "lato". entenda-se como o cerne daquilo que penso. Não quer dizer que no debate e no ouvir outras pessoas não mude, parte dela. E que, caso me provem que estou errada eu não mude. Acontece que para tal, será necessário de facto desmontar uma serie de questões. E estou convicta porque pensei nelas.
Sei que não gostas do confronto e respeito isso. =)
Beijinhos aos dois ;)

VM disse...

e eu a pensar que o V... era eu... (que convencido, afinal havia outro)

:P

Sarita disse...

lolll... não v, não és o único v na minha vida.
;)
É que ali o sr inspirado dantes, quando não era blogger assinava sempre os seus comentários como v... e tinha assim uma certa mística envolta no anonimato a que eu achava (e acho) uma certa piada ;)...
Não sei chamá-lo de outra forma... eheheheh =)
Bjs

(assim se criam grandes desentendimentos... eheheheh)

Inspirado disse...

lolol...

em relação à discussão... é mesmo isso! não gosto de confrontos assim... não vale a pena ;-o

beijinhos
v